terça-feira, 5 de outubro de 2010

Tiririca : sobre política, palhaçada e analfabetismo


 O palhaço Tiririca, eleito com mais de um milhão de votos e tendo como slogan as frases: "Vote Tiririca, pior que tá, não fica" e "O que é que faz um deputado federal? Na realidade, eu não sei. Mas vote em mim que eu te conto", atualmente teve sua candidatura contestada pelo MPE/SP segundo o argumento, levantado primeiramente pela Revista Época, de que faltaria ao Deputado condição de elegibilidade.

Confesso que não entendi muito bem se o candidato seria inelegível por conta de ser analfabeto ou por ser palhaço???? Pelo que me consta parece ser regra que os candidatos sejam ou  analfabetos ou palhaços, quando não, ambos.

Palhaços são tão comuns nas campanhas eleitorais que o horário eleitoral gratuito invariavelmente nos faz rir mais que os programas que se destinam a este propósito. Fico esperando as eleições iniciarem para descobrir os novos personagens humoristas que nos brindarão com suas atuações cômicas geniais dignas de Chaplin e Mazzaropi.

Quem diria, por exemplo, que candidatos tão carrancudos e linha-dura como a Dilma Rousseff teriam uma veia cômica tão forte. Que Didi, Casseta e Planeta, CQC que nada!!! Atualmente nada me fez rir mais que a dama de ferro dizendo pela TV que todas as doações de campanha do PT são registradas.

Política e palhaçada estão tão ligadas quanto as sobrancelhas da Malu Mader.

Como não lembrar então do bizarro Enéas Carneiro, Deputado Federal mais votado da história brasileira, e de seus planos armagedônicos mirabolantes de construção da primeira bomba atômica genuinamente brasileira. Digam se precisamos de desenhos animados para nos fazer rir, quando temos um ratinho "Cérebro" no horário eleitoral, com seus planos de conquistar o mundo???

Para que ir ao circo então, rir da pilhéria dos chimpanzés se o nosso político símio, o macaco Tião, com suas macaquices nos mata de tanto rir, arrancando mais de 400 mil votos de outros tantos palhaços????

Definitivamente, como disse Charles de Gaulle "O Brasil não é um país sério". Talvez por isso o STF não tenha  proibido o humor na campanha. Ora, como ficariam as eleições sem estes comediantes?

Analfabetos então, nem se o diga, são tantos que já perdi a conta. Não entendo o espanto em ter um Deputado Federal analfabeto quando os jornais de vários Estados há poucos dias noticiavam que as eleições de 2010 atrasariam em razão da dificuldade encontrada pelos analfabetos em manusear as urnas eletrônicas. Só no Piauí estes eleitores somavam 40% dos votos, isto sem contar outras unidades da Federação onde este índice é ainda maior, como  o Acre, Maranhão e Alagoas. Segundo o TSE ao todo são  900.898 eleitores nesta condição, contando os analfabetos funcionais. Ora, não são esses os nossos pares?????

É justamente por isso que tal qual a palhaçada sempre achei que a parca escolaridade fosse mérito e não demérito em matéria de política. Pelo menos foi o que o Presidente Lula demonstrou em todos esses anos de vida política, chegando a ser eleito pela revista time um dos 25 líderes mais um influentes do mundo e o homem do ano pelos jornais Le Monde e El Pais, sempre a se vangloriar de sua condição de semi-analfabeto, operário, de homem de nove dedos, etc. Por que então agora falar-se no grau de escolaridade do Tiririca?

Se não fosse assim como outras "celebridades" receberiam tantos votos como os jogadores Romário, e Bebeto, os atores Myrian Rios Sterpan Nercessian e o apresentador Wagner Montes?? E não me venham dizer que o baixinho Romário é letrado, pois pelo jeito, este não sabe assinar nem o próprio nome nos cheques para o pagamento de suas pensões alimentícias. Qual a diferença então em termos no Congresso mulheres-melão e mulheres-pera, se a casa já é composta de tantos homens-laranja???

De mais a mais, para que o palhaço Tiririca precisa saber tanto, se estamos acostumados a ouvir da boca de nossos representantes, quando pegos de calças curtas, que estes não sabem de nada? O Lula não sabia nada do Zè Dirceu, a Dilma não sabia nada da Erenice e por ai vai...

De qualquer maneira, se o palhaço tem de ser sabatinado pelo TRE/SP para sustentar sua candidatura, proponho que os temas sejam consentâneos com a vida pública que este terá daqui para frente. Deve o Deputado, portanto, saber as rudimentares operações de álgebra para poder contar os dólares na cueca que receberá do governo como mensalão e ler e escrever em uma agenda, para melhor registro, as propinas que receberá dos banqueiros, construtoras,etc. Quando este vier a aprender o que faz de fato um deputado. (se já não o sabe, pois tem demonstrado que de burro não tem nada)

Burro ou esperto, com uma coisa temos que concordar com o palhaço: pior do que já está não fica.......

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. A eleição do Tiririca, e com a quantidade de votos que recebeu, só confirma aquela antiga brincadeira que dizia que para o Brasil só existem duas saídas: galeão e cumbica.

    Hoje em dias, existem tantas outras, que nos levam sempre ao mesmo ponto: um país sério no mundo desenvolvido e civilizado, de preferência, com o mínimo de brasileiros vivendo lá.

    ResponderExcluir
  3. Concordo! Faço minhas a suas palavras!

    ResponderExcluir
  4. e o anti-heroi tem twitter? eu ia gostar de seguir adoro teus textos.

    ResponderExcluir
  5. Na minha opnião se Brasil quiser ser um país de verdade não um circo nós temos o dever pensar melhor em quem votamos e não simplesmente votar no mais simpático ou o mais engraçado pois são eles que cuidarão de nosso país. Pense desse jeito você entregaria seu filho a alguém só por que essa pessoa é engraçada?

    ResponderExcluir

Quer comentar? A discussão está aberta à liberdade total e irrestrita.